Jenkins

Fala galerinha!
 Hoje falaremos sobre: JENKINS! o/

   
As versões da ferramenta Jenkins que foi construída sobre a base de código original Hudson.
  
 Assim, este grupo de desenvolvedores criou o Jenkins como uma ferramenta open source, 
cujo código fonte é escrito em Java, disponibilizando a toda a comunidade hoje patrocinada pela CloudBees.

Mas o que é o Jenkins?
Jenkins é um aplicativo que monitora as execuções de trabalhos repetidos,
como a construção de um projeto de software ou executar jobs. Fornecendo uma maneira fácil de usar um sistema de integração contínua, tornando mais fácil para os desenvolvedores integrar suas mudanças ao projeto e a obter a construção de um projeto novo.

Podendo ser utilizada por equipes de todos os tamanhos, para projetos em uma ampla variedade de linguagem e tecnologias, inclusive .net, Ruby, Groovy, Grails, PHP, e outras, assim como Java.
  
 Vantagens:
  1. A evolução do Jenkins está diretamente ligada à evolução e desenvolvimento dos plugins. Cobrindo itens como(sistemas de controle de versão, construção de ferramentas, métricas de qualidade de código,  construir notificadores, integração com sistemas externos, interface de personalização, jogos, integração com dispositivos móveis e etc.);
  2. Altamente extensível, pois pode ser configurada para comunicar com diversas outras ferramentas;
  3. Variedade de integrações como (Git, SVN, CVS, Maven, Ant, etc.);
  4. Fácil instalação é necessário apenas de "java-jar / jenkins.war", ou implantá-lo em um recipiente de servlet. Não adicional instalar, nenhum banco de dados.
  5. Fácil configuração, o Jenkins pode ser configurado inteiramente a partir de sua interface gráfica web amigável com amplos controlos no-fly de erro e ajuda em linha. Não há necessidade de ajustar manualmente no XML , porém se desejar você pode fazer isso também.
  6. Links permanentes, o Jenkins possui URLs legíveis "limpas" para a maioria de suas páginas, incluindo algumas permalinks como "última versão" / "mais recente compilação bem-sucedida", de modo que eles podem ser facilmente ligado a partir de outro lugar;
  7. Geranção de relatórios de teste JUnit / TestNG podendo ser tabulados e exibido com informações sobre o histórico, como quando ele começou a quebrar e etc.;
  8. Plugin Suporte Podendo ser estendida via plugins 3rd party. Você pode escrever plugins para fazer apoio Jenkins ferramentas / processos que sua equipe usa.
  9. Ótimo Forum e tutorial a mão
 Desvantagens:
  1. Parece mentira quando digo que nesta ferramenta também não encontrei pontos negativos para serem considerados desvantagens?
  Mas deixarei o mesmo acordo do ultimo post, se você conhece alguma desvantagem adicione nos comentários e eu posto aqui \o
  
 Vamos para a Arquitetura:

 O Jenkins  utiliza uma arquitetura distribuída, uma arquitetura master / slave ( mestre / escravo ) para um gerenciamento distribuído.
 Seu servidor Jenkins principal é o master.

 o Master lidar com trabalhos de tipo 'scheduling build' , ele constrói aos modelos slaves para a execução real,  monitora os slaves, regista e apresentar os resultados da compilação.

 Mesmo em uma arquitetura distribuída , uma instância de mestre de Jenkins também pode executar trabalhos de construção directly.
 O trabalho dos slaves é fazer o que o  master deseja , que envolve a execução de trabalhos de construção expedido pelo master.
 Você pode configurar um projeto para sempre ser executado em uma máquina slave particular, ou uma máquina slave de um determinado tipo , ou simplesmente deixar Jenkins escolher o  slave disponível
  
 Bom pessoal, espero que tenham gostado!!
Este Post foi um pouco extenso, mas acredito que tenha ficado bem completinho.

Até a próxima galera!! o/

Thallita Celeste

Olá! Sou Thallita, fundadora do blog ThallitaCeleste. Sou Analista de segurança, com fome de conhecimento e grande vontade de ajudar as pessoas ao redor. Aqui, tento manter meu histórico sobre diversos temas. Bem, seja Bem Vindo ao meu Blog! Espero que goste. o/

2 comentários:

  1. Legal o posto! Apenas ficou algo confuso quando você menciona "slave" e "escravo" que deu a ideia de ser conceitos distintos, mas são a mesma coisa.

    ResponderExcluir
  2. Olá Ivanelson, observação bem colocada. Avaliarei e assim que possível farei as devidas modificações.
    Obrigada.

    ResponderExcluir